Pular para o conteúdo principal

Santo do pau oco no Museu de Arte Sacra

A expressão surgiu provavelmente em Minas Gerais, entre o final do século XVII e o início do século XVIII. Era o Período Colonial, o auge da mineração no País.

Para driblar a cobrança do "quinto", o imposto de 20% que a Coroa Portuguesa cobrava de todos os metais preciosos garimpados no Brasil, santos em madeira oca eram esculpidos e, posteriormente, recheados de ouro.


 Aqui em Cuiabá está em exposição não um Santo, mas sim uma Santa do pau oco. Ela é a Nossa Senhora da Piedade e está no Museu de Arte Sacra de Mato Grosso.

Nossa Senhora da Piedade - Museu de Arte Sacra de Mato Grosso

Origens
Nossa Senhora da Piedade é um Título e uma imagem da Virgem Maria inspirados na famosa “Pietá”, de Michelangelo e em Nossa Senhora das Dores. Trata-se de uma imagem que “fala” pela força da expressão artística. Na imagem, Nossa Senhora está com seu Filho Jesus morto nos braços. Remete a um momento muito específico de dor e sofrimento, logo após a morte de Jesus na cruz.

Filme: A paixão de cristo - 2004

Teologia da imagem
A imagem de Nossa Senhora da Piedade contém uma teologia profunda. Jesus, morto, recém descido da cruz, nos braços de sua mãe. Retrata o sacrifício de salvação feito por Jesus e Maria como corredentora, acompanhando seu filo até o fim. Retrata a dor da Mãe que, consciente de sua missão, oferece seu filho pela salvação da humanidade. Ela representa também a dor de milhões de mães que sofrem por seus filhos, vítimas de todo tipo de sofrimento.

Pietá por Willian Bouguereau - 1876

História
A representação mais antiga de que se tem notícia de Senhora da Piedade encontra-se em Portugal. Trata-se de uma obra pintada em madeira, fixada numa das várias capelas presentes no claustro da Sé, na cidade de Lisboa. Pertencia a urna Irmandade muito antiga, que tinha como missão enterrar os mortos, visitar e consolar os presidiários e acompanhar os condenados à pena de morte. Com efeito, tal imagem aparece em 1230 acompanhando ninguém menos que o pai do famoso Santo Antônio, a caminho da pena de morte. O pai foi salvo pelo filho santo, que demonstrou milagrosamente sua inocência.

Pietá por Michelangelo - 1499

Encontrada no tronco de uma árvore
Há também uma outra história de Nossa Senhora da Piedade em Portugal. Esta recebeu o “apelido” de Nossa Senhora da Piedade de Merceana. A tradição conta que esta imagem apareceu no tronco de uma árvore, no século XII. Certa vez um camponês começou a observar que um de seus bois se afastava para o campo todos os dias sempre no mesmo horário. Algum tempo depois, voltava. O homem chamou outros companheiros e seguiram o boi. O animal dirigia-se a uma carvalheira, e se ajoelhava debaixo dela, fixando os olhos num de seus galhos. No alvo do olhar do boi encontraram uma pequena imagem de Nossa Senhora da Piedade. Mais tarde, construíram uma pequena capela naquele local e a devoção cresceu.

A devoção chegou ao Brasil
Foi provavelmente este culto a Nossa Senhor ada Piedade que chegou ao Brasil e se fixou em Minas Gerais, pois ela era a padroeira de Guaratinguetá, parada obrigatória dos bandeirantes a caminho do interior, até chegar à Serra da Piedade, peto de Caeté e de Belo Horizonte, onde existe um santuário dedicado a ela. Vários relatos de graças e milagres acompanham a imagem de madeira desde a sua fixação no Santuário. Sua festa acontece no dia 15 de setembro, um dia depois da festa da Exaltação da Santa Cruz.

Nossa Senhora da Piedade - Museu de Arte Sacra de Mato Grosso

Outra possibilidade de origem da expressão santo do pau oco é do folclorista Luiz Câmara Cascudo em seu Dicionário do Folclore Brasileiro, que diz que as imagens de santos vinham de Portugal recheadas de dinheiro falso. Controvérsias à parte, a expressão ultrapassou séculos e continua a ser usada para quando um hipócrita de plantão aparece.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Jurunas (Yuruna, Yudjá)

Os Jurunas tem como tronco linguístico o Tupi da família Tupi-Juruna, se localizam ao norte do Parque Indígena do Xingu, bem como junto ao baixo Rio Xingu, no Pará, num local denominado Terra Indígena Pequiçamba. Conhecidos como Jurunas, cujo significado “Bocas Pretas” é devido à pintura preta que descia do alto da cabeça até em volta da boca. No meado do século XIX, tinha uma população de mais de 2.000 pessoas, hoje são aproximadamente 390 pessoas (dados Unifesp/2012), vivendo em seis aldeias: Tubatuba, Pakisamba, Pakaya, Paroreda, Pequizal e Kamai.

Museu de Arte Sacra de Mato Grosso retoma suas atividades em fevereiro

Anote no calendário: no dia 7 de fevereiro, o Museu de Arte Sacra de Mato Grosso (MASMT) abre novamente suas portas ao público para a visitação com suas exposições. A equipe interna da Ação Cultural já está se movendo para ajustar dos detalhes finais para a reabertura. Na última quarta-feira (26), reuniram no MASMT, representantes da coordenação de patrimônio da Secretaria Estadual de Cultura (SEC-MT) e equipe da Ação Cultural para conferir todo o acervo do espaço museológico e há previsão de que nos próximos dias seja feita a higienização do acervo, assim como seu acondicionamento e colocação em invólucros apropriados. Entre os ajustes finais para a reabertura, está em execução os reparos na edificação, tais como: telhado, calhas, paredes, pinturas, dedetização, carga em extintores, placas de sinalizações, e readequação dos banheiros para proporcionar acessibilidade às pessoas com deficiências, além da montagem das exposições de longa duração. O Museu de Arte Sacra de Mato …