Pular para o conteúdo principal

Cibório, Âmbula ou Píxide?


Ambas designações estão corretas. Entretanto, cada nome foi atribuído em uma determinada época, hoje, por exemplo, o nome mais conhecido é âmbula, antigamente era comum chamá-lo de cibório ou píxide.

O cibório (do latim ciborium, caixa), também chamado de âmbula (do latim ambulare, transportar) ou píxide (do latim púxis, pequena caixa). Seu primeiro formato foi de um cestinho de vime, lembrando cestos de pães. Depois foi uma espécie de cofre ou caixa.

Sua finalidade é conservar as hóstias antes da consagração na Santa Missa e após a consagração, ela serve para Armazenar as Reservas Eucarísticas no Sacrário.

Mas como vou saber se as Hóstias que estão na âmbula estão ou não consagradas? Para isto, as âmbulas com as Reservas Eucarísticas (Hóstias Consagradas) são cobertas por um véu, Chamado Véu de Âmbula e as que não foram consagradas não.

Hoje, para ser mais facilmente manipulado na distribuição da comunhão, é de metal ou outro material, com ou sem pé e uma tampa. O cibório pode possuir vários formatos, sendo o mais comum o de taça. Sua função é de conservar as hóstias consagradas por um espaço maior de tempo.

Esta conservação dá no sentido de assegurar a comunhão dos enfermos e a adoração eucarística fora da Missa. Bem como, manter as reservas de hóstias nos Sacrários.

Comentários

  1. Eu sou uma pessoa que oferece empréstimos a juros baixos para indivíduos, pequenas empresas, investimentos pessoais etc ... são empréstimos locais e internacionais para pessoas em todo o mundo. Contacte - me hoje e deixe-me saber a quantidade de dinheiro que você quer. Estou pronto para dar-lhe esse empréstimo em um prazo máximo agitou-se durante 48 horas ou 72 horas após a recepção do pedido. Contacte - me para obter informações sobre os termos de empréstimo. E-mail: sophiacarlot2@gmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os Jurunas (Yuruna, Yudjá)

Os Jurunas tem como tronco linguístico o Tupi da família Tupi-Juruna, se localizam ao norte do Parque Indígena do Xingu, bem como junto ao baixo Rio Xingu, no Pará, num local denominado Terra Indígena Pequiçamba. Conhecidos como Jurunas, cujo significado “Bocas Pretas” é devido à pintura preta que descia do alto da cabeça até em volta da boca. No meado do século XIX, tinha uma população de mais de 2.000 pessoas, hoje são aproximadamente 390 pessoas (dados Unifesp/2012), vivendo em seis aldeias: Tubatuba, Pakisamba, Pakaya, Paroreda, Pequizal e Kamai.

Santo do pau oco no Museu de Arte Sacra

A expressão surgiu provavelmente em Minas Gerais, entre o final do século XVII e o início do século XVIII. Era o Período Colonial, o auge da mineração no País.

Para driblar a cobrança do "quinto", o imposto de 20% que a Coroa Portuguesa cobrava de todos os metais preciosos garimpados no Brasil, santos em madeira oca eram esculpidos e, posteriormente, recheados de ouro.

Museu de Arte Sacra de Mato Grosso retoma suas atividades em fevereiro

Anote no calendário: no dia 7 de fevereiro, o Museu de Arte Sacra de Mato Grosso (MASMT) abre novamente suas portas ao público para a visitação com suas exposições. A equipe interna da Ação Cultural já está se movendo para ajustar dos detalhes finais para a reabertura. Na última quarta-feira (26), reuniram no MASMT, representantes da coordenação de patrimônio da Secretaria Estadual de Cultura (SEC-MT) e equipe da Ação Cultural para conferir todo o acervo do espaço museológico e há previsão de que nos próximos dias seja feita a higienização do acervo, assim como seu acondicionamento e colocação em invólucros apropriados. Entre os ajustes finais para a reabertura, está em execução os reparos na edificação, tais como: telhado, calhas, paredes, pinturas, dedetização, carga em extintores, placas de sinalizações, e readequação dos banheiros para proporcionar acessibilidade às pessoas com deficiências, além da montagem das exposições de longa duração. O Museu de Arte Sacra de Mato …