sexta-feira, 1 de novembro de 2013

EM COMEMORAÇÃO AO DIA DA CULTURA, O MUSEU DE ARTE SACRA ABRIRÁ NO FIM DE SEMANA E ANUNCIA QUE TEM NOVIDADE PARA ESTE ANO

Foto: Vivene Lozi


O dia 5 de novembro é comemorado em todo o Brasil com o propósito de promover a cultura e as artes, bem como o empenho daqueles que com elas trabalham. Ocorrem festividades nesse dia, como exibições de arte, parada e cerimônias de prêmios, que são entregues para artistas, entre outras ações.


Na semana do dia 5 de novembro o museu também abrirá sábado e domingo das 13h às 19h, com uma programação alusiva à Semana da Cultura. Uma das novidades será a apresentação do projeto de montagem dos quatro altares/retábulos de estilos barrocos, rococó e neoclássico, que são remanescentes da Antiga Igreja do Senhor Bom Jesus de Cuiabá, demolida em 1968. Estará exposto, de forma explicativa e expositiva, ao visitante, como se dará o processo de montagem dentro da edificação do museu das estruturas denominadas ‘autoportantes’ que sustentarão os quatro altares.

O visitante contemplará a primeira exposição logo na recepção que contém diversos poemas de Fernando Pessoa, Caetano Veloso, Vinícius de Moraes, entre outros. A exposição descreve através da linguagem poética o patrimônio cultural, a exemplo das praças, a morada, o templo, o museu, os caminhos, entre outros locais. Assim evidencia a importância de se preservar, como, por exemplo, no fragmento do poema “Museu” de Carlos Drummond de Andrade:

“ ... De repente apareceu a pessoa que guardava
E convidou todo mundo até sua casa,
Então toda a gente entendeu,
Que a mania de guardar
Era para poder lembrar.
A casa ficou famosa,
Quem a visitava, lembrava do que mais gostava,
E gostava do que mais lembrava,
E poucos se deram conta de que a vida assim continuava...”

Ao adentrar a segunda maquete do complexo arquitetônico, há uma exposição fotográfica intitulada Seminário Nossa Senhora da Conceição, que também conta através de textos a história da edificação de 1852, do lançamento da primeira pedra fundamental e suas ocupações de forma cronológica, destacando os anos: 1867, quando o local serviu de enfermaria para atender aos enfermos vitimados pela epidemia da varíola que se alastrou por toda Cuiabá após o retorno de oficiais que estiveram em batalha durante a Guerra do Paraguai; 1906, quando foi transformado em quartel-general das forças defensoras da situação, na luta deflagrada entre partidos políticos, e 1922, quando Dom Aquino Corrêa transferiu a residência episcopal para o prédio, onde residiu até a sua morte, sendo que nesse período o prédio abrigou ainda o jornal A Cruz, o Instituto Histórico, o Centro de Letras da Província e a Rádio Difusora Bom Jesus de Cuiabá. A exposição fotográfica conta com 25 imagens de Viviene Lozi e do fotógrafo Júlio Rocha que retratam as esquadrias (janelas e portas) da edificação e o retorno do acervo após a conclusão do restauro do prédio do seminário em 2008.

Uma das exposições de longa duração permanece: “Ilustre Morador – Dom Francisco de Aquino Corrêa” que está montada no quarto onde era seu aposento. Nessa exposição foram acrescidas 25 fotografias que trazem momentos solenes de Dom Aquino das décadas de 20, 30, 40 e 50. Entre as fotos, destacamos sua posse na Academia Brasileira de Letras e ao lado de autoridades como o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon e os ex-presidentes Getúlio Vargas e Eurico Gaspar Dutra no Palácio do Catete, Rio de Janeiro.

Na exposição “Catedral do Senhor Bom Jesus de Cuiabá: Uma Viagem ao Passado - Uma Exposição de Longa Duração” é apresentado um pouco da história desta igreja até a época em que foi demolida. Para tal fim, serão expostas peças que fizeram parte da arquitetura da igreja, como o relógio da torre ligado ao sino e uma das cruzes que ficava no alto da igreja, bem como um banco-arca, objetos litúrgicos, um vitral, fotos e imaginárias que se localizavam nela. O propósito desta exposição será levar os visitantes a uma viagem ao passado da Catedral antes de sua demolição. Há peças que estarão em exposição, como o relógio e a cruz de ferro, que estavam localizados na sua fachada na parte central entre as duas torres. O relógio passou por limpeza e montagem e está disposto em estrutura confeccionada especificamente para acondicioná-lo, de forma que o visitante possa ver seu visor e as engrenagens. É composto por um maquinário de ferro, pêndulo e dois pesos laterais, sino em bronze, relógio de ponteiros com vitrais em branco e por fim a placa de identificação da fábrica: “Vitalino Michelini/Fabricante Relojoeiro/S. Paulo – Brasil”.
Já a cruz foi concebida através da arte de fundir e forjar o ferro por ferreiro forjador. A peça em metal fundida em ferro tinha a finalidade de ornamentar o centro das duas torres, dando maior beleza e longevidade à peça que ficava na fachada externa da igreja.  A cruz possui forma trevolada, feita a quente e a frio, suas partes são unidas através de cravos e rebites, possui um resplendor raionado de cobre. 

Além disso, foi montada ao final de um grande corredor uma exposição alusiva à Igreja do Rosário e São Benedito que traz a história, fotos, imagens em madeira e objetos litúrgicos dos séculos XVII e XVIII que foram usados em celebrações. A exposição conta também com recurso multimídia que vai exibir 22 imagens da Igreja do Rosário e São Benedito dos anos entre 1880 e 1990.

A programação prevê todos os dias às 15h a exibição do filme “Narradores de Javé”, dirigido por Eliane Caffé. Este filme destaca a questão do patrimônio imaterial e também aborda diversos temas como a formação cultural de um povo, heranças históricas, crenças, valores, oposição entre memória, história, verdade e invenção, e a oralidade na construção científica.

As ações desenvolvidas no Museu de Arte Sacra de são apoiadas pela Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso através de um contrato de gestão com a instituição gestora do espaço.

Sinopse

Somente uma ameaça à própria existência pode mudar a rotina dos habitantes do pequeno vilarejo de Javé. É aí que eles se deparam com o anúncio de que a cidade pode desaparecer sob as águas de uma enorme usina hidrelétrica. Em resposta à notícia devastadora, a comunidade adota uma ousada estratégia: decide preparar um documento contando todos os grandes acontecimentos heróicos de sua história, para que Javé possa escapar da destruição. Como a maioria dos moradores é analfabeta, a primeira tarefa é encontrar alguém que possa escrever as histórias. 

CONTATOS
MUSEU DE ARTE SACRA

Quando?: 04 a 11 de Novembro de 2013 (Incluindo Sábado e Domingo)
Onde?: Museu de Arte Sacra de Mato Grosso
Horários: 13h às 19h de segunda à sexta – feira. Sábado das 09:00 às 17:00.
Agendamentos Pelo Tel.: 65 3028-6285
Agendamentos escolares: de Segunda a Sexta-feira das 8h às 12h e das 13h às 18h agendar com Tulasi ou Jaqueline.
Imprensa: museu@acaocultural.org
Blog: museudeartesacramt.blogspot.com
Facebook: Museu De Arte Sacra De Mato Grosso
Endereço: Avenida Clovis Hugney - Complexo N. Srª.da Conceição, n°: 239-B, Bairro: Dom Aquino - Cuiabá- MT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário