quarta-feira, 18 de julho de 2012

Programação Julho/ Agosto de 2012




Enizete Gomes de Oliveira e Benedito Antônio Gomes de Souza em cartaz no MASMT


 O Museu de Arte Sacra de Mato Grosso,disponibilizará aos seus visitantes a exposição novas manifestações da arte religiosa através do conceito da sustentabilidade. Essa exposição contará com a participação dos artistas regionais – Enizete Gomes Mendes que utilizam na composição de suas obras materiais recicláveis.

As mandalas que compõem a exposição trazem imagens da Sagrada Família, Nossa senhora das Graças e da Guia, Santa Ceia, além de especificidades da religiosidade local, como os retratos do Santuário Nossa Senhora do Bom Despacho e da Igreja do Rosário e São Benedito, entre outros. A palavra mandala tem origem sânscrita e significa circulo coberto de desenhos ou colagens e considerado representação da relação entre o homem e cosmo. Os artistas optaram por fundir esses elementos aos significados do catolicismo.   

As técnicas utilizadas para a elaboração das mandalas foram a pintura e découpagem sobre MDF. Nas montagem das imagens, vidros, alumínios de latas de refrigerantes e outros materiais recicláveis foram utilizados. As peças são de diversos tamanhos e estão sendo comercializada e os valores variam de R$ 350,00 a R$18,00.

Objetivamos mostrar com essas exposição que o museu, além de ser um espaço de conservação e experimentação cultural, tem intrinsecamente ligado a sua função social de educação patrimonial o sentido da preservação. Essa exposição tem como objeto ampliar o sentido de preservar a arte e cultura, que muitas vezes compreende apenas a importância de sua conservação em instituições como museus, abrangendo a importância da preservação em todos os sentidos, incluindo os recursos naturais do planeta. A partir disso, o reaproveitamento de materiais que seriam descartados como lixo, contribuindo para a poluição, utilizados por artistas regionais na composição de suas peças é um exemplo de como a arte se manifesta diante dos novos desafios apresentados por esse mundo em transformação, demonstrando criatividade, responsabilidade social e ambiental, e muita inspiração.

Exposição: Novas manifestações de arte religiosa através do conceito da sustentabilidade.
Período: 26/07 a 27/08
Horário: 9h às12h e das 13h às 17






Do Mato Grosso colonial a arte da talha, das imagens, crucifixos, tocheiros e da pintura unem-se, revelando uma produção plural de peças barrocas do século XVII e XVIII que pertenceram a algumas igrejas da Capital, como a igreja Senhor dos Passos, Igreja do Rosário e São Benedito e principalmente a antiga Catedral Bom Jesus de Cuiabá demolida em 1968.

A exposição busca interagir com a sociedade trazendo mais uma vez ao público as Relíquias provenientes dos séculos XVII e XVIII, revelando a profissão de fé da população e mostrando um pouco da historia dos tocheiros, crucifixos e imagens que ocupavam lugares de destaques em altares, destinadas a abrigar a materialização da fé naquele objeto de devoção. As peças em exposição tem como material construtivo a madeira que permitiu os artistas desses séculos transformar tocos e troncos de árvores que tornou-se predominante o uso de madeira nas obras de arte no período colonial.

Dessa forma, as peças passam a permitir novas possibilidades e soluções algumas foram confeccionadas em um único tronco e os membros separados, a exemplo do Sagrado Coração de Jesus de 1.80m construído em tamanho real de uma pessoa, suas mãos são de encaixes com pinos. O douramento é usado o ouro em pó e na pintura pigmentos que da a policromia da peça. A expressão fácil das peças pode revelar a identidade do artista, que as tornaram mais humanas e dramáticas.

Uma das peças em destaque na exposição é a imagem de São Jorge, o santo guerreiro, de 1,65 metros que foi padroeiro da Milícia e desfilava nas procissões de Corpus Christi sobre um cavalo ricamente adornado. Outras peças de igual fascinação, e que fizeram parte da vida religiosa de Cuiabá são os tocheiros, acessos com óleo mamona, que iluminavam o caminho dos fiéis em cortejos e procissões.

O Museu de Arte Sacra de Mato Grosso traz também o sublime momento da crucificação de Jesus Cristo, importante símbolo do cristianismo, representado em belíssimos crucifixos de bancada e parede, adornados de ponteiras e resplendores e compostos de madeiras, metais e marfim. Verdadeiras jóias que materializam a fé do povo cuiabano.

São 28 peças em exposição que participaram do cenário religioso durante procissões e as diversas manifestações religiosas realizadas na cidade que, embora em constante transformação ao longo dos anos, tem a marcante característica de preservação das tradições religiosas pela população, como as festas religiosas tão presentes nos mês de junho e julho.

Objetivamos com essa exposição proporcionar ao visitante uma viagem ao passado através dos símbolos de sua devoção e tradição religiosa, traço da cultura cuiabana. Transportando-os à uma Cuiabá colonial, em que a fé era representada em imagens, crucifixos e outros aparatos do ritual litúrgico trazida por viajantes ou confeccionados por santeiros, escultores, carpinteiros locais e vivida intensamente pela população em missas, procissões e festas de santos.

EXPOSIÇÃO:Relíquias da Antiga Catedral de Cuiabá
Horário: 9h às 12h e das 13 às 17h
Período: 26/06 a 27/07





Oficina de Relicários

A oficina de relicários não é apenas uma recreação, é uma forma de interação dos estudantes que visitam o museu com a arte, de uma forma simples e trazendo a importância da sustentabilidade, essa oficina proporciona um contato direto com o processo de criação, conhecimentos sobre iconografia e reciclagem.
Cada participante terá que trazer uma caixinha de fósforo (sem palitos), fitas coloridas e uma tesoura para poder confeccionar o seu guardar relíquias.

Materiais necessários:
- 1 Caixa de fósforo, 1 tesoura e fitas coloridas (participante deverá trazer)
- Cola, imagens ilustrativas e papeis coloridos ( O museu oferece ao participante)
Quantidade de aluno por oficina: 30 alunos

Horários: 9h às12h e das 13h às 17h
Faixa etária:05 à 14 anos
Período: 26/06 a 27/07



1ª Oficina de Desenho Técnico e Criação


O curso será realizada no período de 09 à 20 de julho de 2012, das 14:00 às 16:00 horas no Museu de Arte Sacra de Mato Grosso em Cuiabá com carga horária de 20 horas.

Objetivo do Curso:
Qualificar os alunos para o entendimento de criação e criatividade da Oficina de Desenho Técnico e Criação, contextualizar no tempo e no espaço de sua realização.
Este curso é voltado para quem gosta de realizar fantásticas viagens com apenas um papel e um lápis.
Com fundamentos e técnicas específicas de desenho de observação, em pouquíssimo tempo os alunos aprendem a reproduzir paisagens, objetos, pessoas, personagens e muito mais. além disso aprendem a visualizar distâncias e alturas.


3- Conteúdo programático

• Treinamentos para exercitar as mãos;
• Simbologias das cores;
• Multiplicação das cores;
•Distribuição das cores;
• Cores primárias, secundárias, terciárias e inexistentes;
• Os valores tonais;
•Feixes luminosos;
•Os distintos planos da paisagem;
• Noções elementares;
• Campos e módulos das letras;
• Distribuição dos textos;
• Como medir a distância/ visor de cartão;
•Medidas intermediárias; vertical e horizontal;
• Matérias sobre publicidade, propaganda e perspectiva, iluminação, valores tonais e muito mais.

4- Metodologia e Conteúdo Programático

• Dinâmica de grupo;
• Avaliação inicial;
• Trabalho em grupo;
• Avaliação final individual;
• Entrega dos certificados de participação ativa na oficina.

5- Materiais necessários por Aluno

• Uma resma de papel chamequinho com 100 folhas;
• 2 Lápis pretos;
• 2 Canetas esferográficas de cor preta ou azul;
• 1 Caderno com pauta;
• 1 Régua de 30 cm;
• 1 Borracha branca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário